Telefone:  (11)  3884-7100    •    contato@sogesp.com.br
Logo SOGESP

2012 / Tema 08

Diagnóstico e Tratamento dos pólipos endometriais: recomendações clinicas ( Diagnostic and and treatment of endometrial polyps: clinical recomendations )

O diagnostico pode ser feito com USTV, histerossonografia ou histeroscopia diagnostica e/ou cirúrgica.
 
Quando ao tratamento recomenda-se:
 
Mulheres pré-menopausa:
 
Para mulheres pré-menopausa assintomáticas, pode-se adotar uma conduta expectante naquelas sem fatores de risco para malignidade (Nível A). A remoção pode ser realizada na- quelas com: pólipos maiores de 15 mm, pólipos múltiplos, e nas com história de infertilidade para melhorar as taxas de 
gravidez (Nível A).
 
Para mulheres pré-menopausa sintomáticas a polipectomia é recomendada. O resultado da polipectomia parece melhorar principalmente o sangramento intermenstrual em 75% a 100 % dos casos, entretanto naquelas com sangramento menstrual muito abundante pode não ser suficiente para resolução completa do sintoma. Existe uma falta de evidência de alta qualidade na literatura para informar com segurança a eficácia da polipectomia em mulheres com sangramento uterino anormal na prática clínica. A limitada evidência disponível sugere que a polipectomia histeroscópica é um procedimento tecnicamente bem sucedido que melhora o sangramento anormal (NivelC).
 
Mulheres pós-menopausa:
 
Em mulheres pós-menopausa assintomáticas, o tratamento precisa ser individualizado em função da presença de outros possíveis fatores de risco de malignidade como idade avan- çada, obesidade, uso de tamoxifeno, tamanho e número de pólipos, estado geral da pacien- te, bem como preocupações das mulheres em relação à malignidade. Quando for adotada uma conduta expectante, um estreito acompanhamento destas pacientes deverá ser realiza- do com ultra-sonografia transvaginal periódica. Não existe, entretanto, na literatura médica, recomendação sobre qual o intervalo ideal para repetição destes exames durante o acompa- nhamento. Em mulheres assintomáticas, é provável que esse intervalo possa ser anual (Nível D). Na presença de pólipos de maior tamanho ou de indicadores de risco para malignidade, a polipectomia histeroscópica deve ser realizada (Nível B)

Mulheres pós-menopáusicas sintomáticas apresentam maior risco de malignidade e devem ter os pólipos removidos para tratamento e para excluir malignidade (Nível B).

Devido escassez de evidências sobre pólipos endometrias decorrentes de estudos bem desenhados e com longo tempo de acompanhamento a força destas recomendações clínicas é limitada.