Logo SOGESP

ExaMINA: vamos falar sobre prevenção e diagnóstico precoce?

#ExaMina

08.mar.2020 - Patrícia de Rossi

ExaMINA: vamos falar sobre prevenção e diagnóstico precoce?

Cuidados preventivos são fundamentais para manter a saúde e reduzir o risco de doenças. Além da consulta ginecológica periódica, a adoção de hábitos saudáveis e a realização de exames de rotina são as melhores formas de proteger a nossa saúde.

Nas mulheres, as doenças mais frequentes que podem causar sérios danos à saúde e podem ser prevenidas ou diagnosticadas precocemente são as doenças cardiovasculares, câncer (mama, colo do útero, intestino, ovário, endométrio) e osteoporose.  

Doenças cardiovasculares

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte de mulheres com mais de 50 anos, e incluem infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico/cerebral (“derrame”) e doença vascular periférica.

Algumas condições que aumentam o risco dessas doenças são hipertensão arterial, diabetes, dislipidemias, tabagismo e sedentarismo. Assim, a prevenção inclui adotar hábitos saudáveis e exames laboratoriais periódicos (glicemia de jejum, colesterol total e frações, triglicérides); a pressão arterial deve ser medida anualmente.

Câncer de mama

O câncer de mama é o tipo de câncer mais comum nas mulheres.

Sua mamografia está em dia? Segundo as diretrizes do Instituto Nacional do Câncer (INCA), da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e da Sociedade Brasileira de Mastologia, a mamografia é o método recomendado para rastreamento (detecção precoce) do câncer de mama. O exame deve ser realizado anualmente a partir dos 40 anos; às vezes, necessita ser complementado com ultrassonografia das mamas. Mulheres com risco aumentado para câncer de mama (por exemplo, com casos da doença na família) podem necessitar de exames mais precoces e especializados, como ressonância nuclear magnética das mamas.

Câncer de colo do útero

O câncer de colo uterino é uma doença silenciosa no seu início e começa com lesões que não causam sintomas. A detecção do câncer em estágios iniciais pode ser feita através do exame de Papanicolaou (“preventivo”), que consiste na análise microscópica de células do colo do útero à procura de alterações sugestivas de lesões precursoras. Se necessário, são realizados exames complementares como colposcopia e biópsia do colo uterino.

Como o câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente de alguns tipos de HPV (papilomavírus humano), cuja transmissão é basicamente por via sexual, o Papanicolaou é indicado somente para mulheres que já iniciaram a vida sexual. O exame deve ser realizado periodicamente (a cada 1 a 3 anos) – segundo o INCA, dos 25 aos 64 anos de idade. No entanto, não há contraindicação para fazer o exame fora dessa faixa etária – avaliada a critério médico.

Câncer de intestino (cólon e reto)

O risco de câncer de intestino aumenta com a idade e é o 2º tipo de câncer mais comum nas mulheres. Recomenda-se o rastreamento a partir dos 50 anos com pesquisa anual de sangue oculto nas fezes ou colonoscopia a cada 10 anos.

Como prevenir? Mantendo o peso adequado (IMC ≤ 25), tendo uma alimentação saudável (rica em frutas, vegetais, fibras, e pobre em carnes processadas), praticando atividades físicas regularmente e não fumar. 

Câncer de ovário

Não há exames recomendados para rastreamento ou diagnóstico precoce do câncer de ovário. Obesidade é um fator que aumenta seu risco, portanto manter o peso corporal adequado é uma estratégia de prevenção. Outra medida importante é avaliação clínica em consultas ginecológicas regulares, especialmente após os 50 anos.

Câncer de endométrio

O câncer de endométrio é a forma mais comum do câncer do corpo do útero, afetando principalmente mulheres após os 50 anos. Alguns dos fatores de risco são sobrepeso/obesidade, diabetes, nuliparidade (nunca engravidou) e predisposição genética familiar.

Não há exames recomendados para rastreamento, mas o diagnóstico precoce aumenta muito a chance de sucesso do tratamento; um sinal de alerta é ter sangramento vaginal mais de um ano após a menopausa.

Osteoporose

A osteoporose é uma doença do esqueleto que reduz a massa e a força óssea, aumentando o risco de fraturas. Sua frequência aumenta com a idade, principalmente após a menopausa. O rastreamento da osteoporose é feito com o exame de densitometria óssea (coluna e quadril), indicado para todas as mulheres com mais de 65 anos e aquelas na pós-menopausa com algum fator de risco para fraturas (por exemplo, baixo peso corporal e tabagismo atual). O exame também é feito para controle de tratamento de osteoporose ou se houve alguma fratura por fragilidade (de baixo impacto, como queda da própria altura).

A prevenção da osteoporose inclui uma dieta rica em cálcio (pelo menos 1000 mg/dia), exercícios físicos, cuidados para prevenção de quedas, parar de fumar e evitar ingestão excessiva de álcool.

Para completar, anote algumas dicas para prevenção do câncer:

1. Não fume. O tabagismo (consumo de produtos com tabaco, como cigarros, charutos, narguilé) aumenta o risco de câncer do colo do útero, de intestino (cólon e reto) e de pulmão, entre outros;

2. Tenha uma alimentação saudável, rica em alimentos de origem vegetal e pobre em alimentos ultraprocessados;

3. Mantenha o peso corporal adequado. Sobrepeso (IMC 25-29) e obesidade (IMC ≥30) aumentam o risco de vários tipos de câncer – incluindo câncer de mama, ovário, intestino e endométrio (corpo do útero). O IMC (Índice de Massa Corpórea) é calculado pela fórmula IMC=peso (kg) / altura (m)2

4. Pratique atividades físicas;

5. Evite a ingestão excessiva de bebidas alcoólicas;

6. Evite comer carne processada (salsicha, presunto, mortadela, peito/blanquet de peru, bacon) – os conservantes presentes nesses alimentos podem favorecer o surgimento de câncer de intestino;

7. Vacine contra o HPV todas as meninas de 9 a 14 anos (e meninos com idade entre 11 e 14 anos);

8. Tome a vacina contra hepatite B, independentemente da idade – ela está disponível gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde;

9. Evite exposição direta ao sol das 10 às 14 horas e use proteção adequada (chapéu e protetor solar – inclusive nos lábios), para redução do risco do câncer de pele;

10. Faça os exames preventivos indicados para sua faixa etária.

Cuide-se sempre e lembre suas amigas: seus exames estão em dia?