Telefone:  (11)  3884-7100        [email protected]
Logo SOGESP

SOGESP Responde

Saiba mais!

Tem alguma dúvida de cunho ginecológico ou obstétrico? Envie para o SOGESP Responde!
Elas serão enviadas para especialistas e posteriormente respondidas em nossas redes sociais e aqui no Portal SOGESP.
Participe comentando na caixa de perguntas dos stories do Instagram: 
http://bit.ly/SogespInstagram

                          Fique de olho nas redes sociais da SOGESP para conferir as respostas!
                         

 

Anticoncepcional em adolescente com um ano de menarca é bom ou não?
Basicamente, a indicação de se usar anticoncepcional, seja para anticoncepção, seja para algum tratamento específico determinado pelo médico, independe do tempo da menarca. Dessa forma, se houver indicação, os anticoncepcionais podem ser usados com segurança, desde que pesados os riscos e benefícios assim como as contraindicações de cada método. 


 DIU de cobre ainda é muito indicado?
Há muitas mulheres que, por falta de informação, acreditam que o DIU de cobre seja abortivo, que provoque câncer ou infertilidade ou que não garanta a anticoncepção.

 Existem inúmeras vantagens do DIU de cobre. São elas:

 • Não contém hormônios – fato desejável em várias situações
 • Altamente efetivo – mais de 99% em um ano
 • Melhor custo-benefício – custo baixo e disponível na rede pública
 • Praticidade – não precisa lembrar diariamente de usá-lo (livre de esquecimentos)
 • Longa ação – até 10 anos de duração
 • Retorno rápido à fertilidade – quase que imediato após a retirada
 • Sem efeitos sistêmicos – ação local, intrauterina
 • Não interfere na lactação (amamentação)
 • Altas taxas de continuidade – as maiores entre os métodos reversíveis

DIU de cobre é, portanto, um método seguro e eficaz para anticoncepção e quase não possui contraindicações, o que faz com que a busca pelo método esteja aumentando novamente no país.


 Pré-Menopausa: sinais e sintomas?
A pré-menopausa corresponde ao período antes da menopausa e pode ser responsável por alguns sintomas bastante desconfortáveis.
 As famosas ondas de calor (fogachos) são os mais frequentes e podem vir acompanhadas de muito suor. Os ciclos menstruais podem ficar mais curtos (diminuem de 28 para 21 dias, por exemplo) e, posteriormente, os intervalos entre as menstruações podem ficar maiores, com ciclos cada vez mais longos. Em alguns casos, pode haver fluxo menstrual em excesso, podendo, inclusive, criar situações constrangedoras. Pode haver diminuição do desejo sexual e da lubrificação vaginal natural quando a relação sexual ocorre. Episódios de irritabilidade,  variações súbitas de humor, distúrbios do sono (insônia) e transtornos depressivos também são comuns. Episódios de dor nas articulações, nas mamas e na cabeça também são frequentes.
Apesar de tudo, cada mulher vivencia a pré-menopausa de forma singular. Há mulheres que sentem tudo e mais um pouco, enquanto outras passam por essa fase de transição de uma forma leve. Felizmente há tratamento para a maioria dos desconfortos. Conversar com um ginecologista a esse respeito é fundamental.



 Qual a relação de uso de corticoides  em grávidas com bebes com autismo e hiperatividade?
O transtorno do espectro do autismo e o transtorno do déficit de atenção com hiperatividade ainda são patologias em investigação e provavelmente apresentam causas multifatoriais. Estudos não robustos mostraram uma relação dessas patologias com prematuridade, sofrimento fetal agudo e crônico e outros fatores relacionados à gestação como infecções e patologias maternas. Muitas vezes o uso de corticoide durante a gestação está relacionado aos fatores mencionados anteriormente, tornando-se portanto, um fator confundidor. Com o conhecimento da literatura médica atual não é possível correlacionar diretamente o transtorno do espectro do autismo e/ou o transtorno do déficit de atenção e hiperatividade com o uso de corticoide durante a gestação.